Lucky por Hugo Gomes

Lucky por Hugo Gomes

John Carroll Lynch concebeu a obra como uma celebração ao ator Harry Dean Stanton, porque em todo ele, uma personagem-tipo, concentrava todos os elementos e aspeto no qual o identificamos acima da ficção, e sobretudo fora da realidade desconhecida, a figura que a cinefilia nos impôs - o Harry Dean Stanton que o cinema criara. Ver o post inteiro

Coleção «Halloween» – As escolhas do Quinto Canal

Coleção «Halloween» – As escolhas do Quinto Canal

É verdade que o Halloween já passou, mas todos os dias são bons para uma bela sessão de filmes de terror e mistério, seja sozinho ou acompanhado. Por isso mesmo, e em parceria com o Filmin, fique a conhecer três grandes sugestões a não perder desta coleção especial, disponibilizada pelo serviço online. Ver o post inteiro

Marie Dumora: «fazer filmes é como restituir um pouco a beleza ao mundo»

Marie Dumora: «fazer filmes é como restituir um pouco a beleza ao mundo»

Depois de uma trilogia em torno das crianças (Avec ou sans Toi; Emmenez-Moi; Je Voudrais Aimer Personne), e dois filmes onde os ciganos eram o foco (La Place; Forbach for Ever), Marie estuda agora os ieniches em Belinda, filme onde volta a trabalhar com uma personagem com quem já se tinha cruzado num filme anterior, a personagem título - aqui apresentada aos 9, 15 e 23 anos, do orfanato ao seu casamento. Ver o post inteiro

TOP 10 DE OUTUBRO

TOP 10 DE OUTUBRO

São Jorge e A Fábrica de Nada lideram as preferências dos nossos subscritores. Demonstrando assim o grande interesse pelo cinema nacional.  Ver o post inteiro

CENTENÁRIO INGMAR BERGMAN

CENTENÁRIO INGMAR BERGMAN

Educado num meio luterano, o que muito o marcou, e influenciado pela filosofia de Sören Kierkegaard, estreou-se no cinema em 1946 com “Crise”/”Kris” mas foi a partir de “Um Verão de Amor”/”Sommarlek” (1951) e de “Mónica e o Desejo”/”Sommaren med Monika” (1953) que começou a ser conhecido e reconhecido internacionalmente.  Ver o post inteiro

Blue My Mind por Hugo Gomes

Blue My Mind por Hugo Gomes

Brühlmann encontra, sim, uma maneira inteligente de dialogar com as crises de adolescentes, sensível com o universo feminino e com as suas complexidades, que em equação somatória com as “complicações adolescentes” nos levam à porta interdita da “juventude eterna”. Ver o post inteiro

A FABRICA DE NADA – ASCENSÃO DOS TRABALHADORES ATÉ UM NOVO PATAMAR

A FABRICA DE NADA – ASCENSÃO DOS TRABALHADORES ATÉ UM NOVO PATAMAR

"A Fábrica de Nada" foi o filme português que surpreendeu em Cannes, vencendo o prémio FIPRESCI – Federação Internacional de Críticos de Cinema na Quinzena dos Realizadores. Este filme mostra, de uma forma tão natural quanto ficcional, tão verdadeira quanto ilusória, como o mundo em que vivemos hoje caiu numa crise constante e inultrapassável... Ver o post inteiro

Revenge (Vendeta) por Jorge Pereira

Revenge (Vendeta) por Jorge Pereira

"Queria abraçar a imagem fascinante e polarizadora de uma espécie de Lolita. Jen pode ser vazia e estúpida e objeto de desejo se ela assim quiser. Não deve ser (de todo) desculpa para o que vai acontecer a seguir.", explica Fargeat, que carrega o seu filme com elementos que demonstram esse caráter profundamente sedutor, contribuindo igualmente para o tom nervoso que desde os primeiros instantes nos dão a perceção que algo de muito mau vai acontecer. Ver o post inteiro

Thelma por André Gonçalves

Thelma por André Gonçalves

Com o seu trio inicial de filmes belíssimos (mas não embelezadores) sobre a depressão e os efeitos que esta ou até um potencial suicídio (Louder than Bombs) pode ter na vida dos que mais amamos, Joachim Trier firmou um estilo próprio, mas que revela obviamente o estudo afincado de mestres.  Ver o post inteiro

Holiday por Jorge Pereira

Holiday por Jorge Pereira

Essa violência, física, psicológica ou até espiritual (no sentido de omnipresença do castrador mesmo na sua ausência física) - está muito presente nesta impressionante primeira longa-metragem da sueca Isabella Eklöf. Ver o post inteiro

Suburra por Hugo Gomes

Suburra por Hugo Gomes

Tal como o filme a certa altura especifica, existe um apocalipse iminente que joga com os destinos das suas variadas personagens, que a certa altura fundem dando o seu contributo a um inteiro quadro. Quadro, esse, que seria um cliché pegado se a cidade-cenário fosse a tão infame Nápoles, ao invés disso é Roma a orquestrar uma Gomorra silenciosa, onde a política é corrompida pelos interesses maiores de "famílias". E voltando a referir a ideia de quadro, Suburra é pintado sob pequenas pinceladas, quase ocasionais e instintivas, e cuja perpendicularidade vai-se revelando à medida que a narrativa adquire o seu ponto climax. Ver o post inteiro

Coleção Realismo Mágico – As escolhas do Quinto Canal

Coleção Realismo Mágico – As escolhas do Quinto Canal

Num mundo paralelo onde o realismo e a magia se misturam num só, com muita fantasia pelo meio, o Filmin tem mais uma coleção especial para os seus assinantes, intitulada de Realismo Mágico, com filmes que não pode mesmo perder associados a esta temática. Para que seja mais fácil a sua escolha, o Quinto Canal escolheu três volumes especiais, que merecem sem dúvida a sua atenção. Ver o post inteiro

10 ANOS, 10 FILMES por Cinema 7ª Arte

10 ANOS, 10 FILMES por Cinema 7ª Arte

“10 Anos, 10 Filmes” é o primeiro de vários artigos especiais que visam comemorar o 10.º aniversário do Cinema 7.ª Arte (2008-2018). Se em 2017, no 9.º aniversário, recuamos nove anos para escrutinar o ano cinematográfico de 2008, o primeiro ano do site, em 2018 fazemos uma retrospectiva de uma década de cinema. Ver o post inteiro

Où en êtes-vous, João Pedro Rodrigues? (2017) de João Pedro Rodrigues

Où en êtes-vous, João Pedro Rodrigues? (2017) de João Pedro Rodrigues

Uma das sequências mais longas desta curta-metragem de vinte e um minutos mostra imagens da preparação de Morrer Como Um Homem (2009) filmadas com uma lente de visão nocturna. Os homens estão camuflados e momentos depois, já com luz do dia, vemos o próprio realizador a colocar no rosto as cores usadas pelos militares para que se confundam com a vegetação. Où en êtes-vous, João Pedro Rodrigues? (2017) é um auto-retrato camuflado.  Ver o post inteiro

Entrevista a Greta Scarano: Suburra pode ser encarado como um estudo à cidade e à Máfia

Entrevista a Greta Scarano: Suburra pode ser encarado como um estudo à cidade e à Máfia

Greta Scarano faz parte de um mosaico, uma teia de crime e de influências que no todo constituem Suburra, a obra de Stefano Solima que funciona como o novo sucessor do fenómeno Gomorra. Por ocasião da estreia nacional deste novo "folego" do filme de crime, o C7nema falou com a bela atriz sobre a sua inesperada personagem, os seus sonhos enquanto atriz e o seu desejo de trabalhar com Jacques Audiard. Ver o post inteiro

Os lançamentos da semana – Mariphasa por Quinto Canal

Os lançamentos da semana – Mariphasa por Quinto Canal

Sendo esta a segunda longa-metragem de Sandro Aguilar, após o lançamento de Cartas da Guerra em 2016, o realizador decidiu com Mariphasa regressar ao seu estilo característico, que mistura a ficção científica com o terror, trazendo assim até aos espetadores um filme diferente e em certo modo marcante. Ver o post inteiro