Reviews

Todos os artigos desta secção

Suburra por Hugo Gomes

Suburra por Hugo Gomes

Tal como o filme a certa altura especifica, existe um apocalipse iminente que joga com os destinos das suas variadas personagens, que a certa altura fundem dando o seu contributo a um inteiro quadro. Quadro, esse, que seria um cliché pegado se a cidade-cenário fosse a tão infame Nápoles, ao invés disso é Roma a orquestrar uma Gomorra silenciosa, onde a política é corrompida pelos interesses maiores de "famílias". E voltando a referir a ideia de quadro, Suburra é pintado sob pequenas pinceladas, quase ocasionais e instintivas, e cuja perpendicularidade vai-se revelando à medida que a narrativa adquire o seu ponto climax. Ver o post inteiro

10 ANOS, 10 FILMES por Cinema 7ª Arte

10 ANOS, 10 FILMES por Cinema 7ª Arte

“10 Anos, 10 Filmes” é o primeiro de vários artigos especiais que visam comemorar o 10.º aniversário do Cinema 7.ª Arte (2008-2018). Se em 2017, no 9.º aniversário, recuamos nove anos para escrutinar o ano cinematográfico de 2008, o primeiro ano do site, em 2018 fazemos uma retrospectiva de uma década de cinema. Ver o post inteiro

Où en êtes-vous, João Pedro Rodrigues? (2017) de João Pedro Rodrigues

Où en êtes-vous, João Pedro Rodrigues? (2017) de João Pedro Rodrigues

Uma das sequências mais longas desta curta-metragem de vinte e um minutos mostra imagens da preparação de Morrer Como Um Homem (2009) filmadas com uma lente de visão nocturna. Os homens estão camuflados e momentos depois, já com luz do dia, vemos o próprio realizador a colocar no rosto as cores usadas pelos militares para que se confundam com a vegetação. Où en êtes-vous, João Pedro Rodrigues? (2017) é um auto-retrato camuflado.  Ver o post inteiro

Entrevista a Greta Scarano: Suburra pode ser encarado como um estudo à cidade e à Máfia

Entrevista a Greta Scarano: Suburra pode ser encarado como um estudo à cidade e à Máfia

Greta Scarano faz parte de um mosaico, uma teia de crime e de influências que no todo constituem Suburra, a obra de Stefano Solima que funciona como o novo sucessor do fenómeno Gomorra. Por ocasião da estreia nacional deste novo "folego" do filme de crime, o C7nema falou com a bela atriz sobre a sua inesperada personagem, os seus sonhos enquanto atriz e o seu desejo de trabalhar com Jacques Audiard. Ver o post inteiro

Um Olhar Sobre Sandro Aguilar por Hugo Gomes

Um Olhar Sobre Sandro Aguilar por Hugo Gomes

Contam-se mais de 14 curtas-metragens e, atualmente, duas longas, num currículo que interliga-se, experimenta-se e motiva as mais diferentes reações. Falamos de um realizador sobretudo tecnicista, sem com isso alegar a sua vertente académica. Aguilar desfaz todas essas rígidas regras, assim como a convencionalidade da própria narrativa. Por outras palavras, não cabe a si recriar “telenovelas” (mencionando os rasgos irados cometidos por João César Monteiro no seu particular episódio de 2000), o realizador compõe sensações (eis um cinema sobretudo sensorial). Ver o post inteiro

L'Atelier (O Workshop) por André Gonçalves

L'Atelier (O Workshop) por André Gonçalves

Numa das decisões mais inspiradas e pontuais da história do Festival de Cannes, o júri presidido por Sean Penn (também num dos grandes momentos da sua carreira) decidiu atribuir a Palma de Ouro a - e por conseguinte, colocou definitivamente no foco - Laurent Cantet, cineasta que via assim o seu cinema de coletivo a chegar a novas audiências, incluindo a este espectador com A Turma. Foi há 10 anos atrás e nota-se o impacto - nele, em nós, e nos que passaram a emular esse naturalismo desconcertante que nos coloca como "moscas", ou então secundários extra, mudos mas pensantes, dentro da ação.  Ver o post inteiro

Le Jeune Karl Marx (O Jovem Karl Marx) por Paulo Portugal

Le Jeune Karl Marx (O Jovem Karl Marx) por Paulo Portugal

Apesar desta ser a juventude de Marx – sim, ainda antes do famoso O Capital, que só viria a ser publicado vinte anos depois – é também o início da parceria com Engels e a definição da luta de classes. É esse período fértil influenciado pelo estudo de Engels sobre as condições dos trabalhadores ingleses, mas também onde se começam a perceber as diferenças entre os ambos; Ver o post inteiro

Jackie por André Gonçalves

Jackie por André Gonçalves

Natalie Portman é obviamente "a" performance do filme - a sua mimetização sem quaisquer erros evidentes da própria performance pública de Jackie acaba por acrescentar perversidade a uma película que, não escapando a inevitáveis acusações de artificialidade (ou até de ser um objeto embalsamado), me pareceu mais real (i.e. sincero) e fascinante no seu retrato de um retrato e na sua relativa liberdade criativa que as biografias "factuais" e "verdadeiras" que fomos vendo nos últimos anos... Ver o post inteiro

On a Milky Road (Na Via Láctea) por Paulo Portugal

On a Milky Road (Na Via Láctea) por Paulo Portugal

Não interessa tanto se é um sonho do leiteiro Kosta (ele mesmo, Kusturica) ou realidade, pois a loucura daquela quinta servida por um relógio inconstante, uma ginasta retirada danada para a festa que é destinada a casar com o leiteiro. No meio deste arraial aparece ainda Monica Bellucci investida no papel de refugiada, num papel de toda a entrega. Mais relevante do que o rigor da história é o enorme gozo de ser levado neste constante delírio. Isto até que as coisas começam a tomar um ar mais sombrio. Afinal de contas estamos no meio de uma guerra. Ver o post inteiro

«Les Gardiennes» (As Guardiãs) por Hugo Gomes

«Les Gardiennes» (As Guardiãs) por Hugo Gomes

A adaptação do livro de Ernest Pérochon remete-nos a uma Guerra de sombras, invisível e igualmente furtiva. Depois dos homens partirem para as batalhas longínquas, as mulheres permaneacem nas suas residências, mantendo, para além do negocio familiar, as réstias do quotidiano em “tempos de pacificidade”. Ver o post inteiro

«Little Men» (Homenzinhos) por Hugo Gomes

«Little Men» (Homenzinhos) por Hugo Gomes

Ira Sachs prima por esse “keep it simple”, usufrui de uma tendência quase proustiana em relação à juventude, galgando pela tenra carne do elenco jovem, servindo-os de condutor para uma perspectiva de "dois gumes" por entre mundos não combinados. O lado adulto, imperceptível para os nossos protagonistas, e os anos verdes, negligenciados por adultos inseridos em vórtices existenciais e ideológicos. Ver o post inteiro

«Lumière! L'aventure commence» (Lumière! A Aventura Começa) por Aníbal Santiago

«Lumière! L'aventure commence» (Lumière! A Aventura Começa) por Aníbal Santiago

"Lumière!" recupera e dá nova vida a cento e catorze obras filmadas com recurso ao cinematógrafo, todas exemplarmente restauradas e reunidas no interior de capítulos temáticos que permitem uma espécie de visita guiada a um pedaço inaugural e fundamental da História do Cinema. Ou seja, estamos perante um documento de enorme valia, que nos transporta a algumas das memórias mais profundas do cinema e da sua linguagem, sempre com a excelente companhia de Thierry Frémaux. Ver o post inteiro

Joshua Oppenheimer: Documentar o Abismo Humano

Joshua Oppenheimer: Documentar o Abismo Humano

Oppenheimer trabalha há mais de uma década com milícias, esquadrões da morte e as suas vítimas, para explorar a relação entre a violência política e o imaginário da sociedade.Estes criminosos nunca foram julgados e condenados, pelo contrário, foram elevados a heróis pela ditadura, e enriquecidos com recompensas. Hoje, vivem lado a lado com as famílias das vítimas e ainda alguns ocupam lugares de poderio. Persiste nas pessoas o medo e o trauma. Ver o post inteiro

«Aquarius» por Hugo Gomes

«Aquarius» por Hugo Gomes

Aquarius responde-nos com exatidão às nossas mesmas expetativas. Derivada à situação atual da politica brasileira, o "impeachment", o golpe de estado, é possível fazer leituras desse género neste grande regresso de Sónia Braga ao cinema. Mas vamos por partes. Ver o post inteiro

«Jackie» por Portal Cinema

«Jackie» por Portal Cinema

Se espera encontrar em “Jackie” uma cinebiografia tradicional, então prepare-se para ficar desiludido. Isto porque não há uma grande dose de tradicionalismo neste projeto do chileno Pablo Larraín que explora, sob o ponto de vista bem próximo da Primeira Dama Jacqueline Kennedy, os trágicos dias que se seguiram ao assassinato do Presidente Kennedy, aproveitando também para nos dar pequenos vislumbres de como era a sua vida na Casa Branca. Tais vislumbres, ressalve-se, servem também para fazer um sério contraste com a sua nova realidade. Ver o post inteiro

«Jackie» por Arte-Factos

«Jackie» por Arte-Factos

O primeiro filme em território americano do chileno Pablo Larraín exibe Jackie Kennedy no seu grande momento de dor e fraqueza: os dias que se seguem ao assassinato do marido. É um  retrato (im)possível que pretende transpor a esfera pública para entrar na esfera íntima e examinar a solidão daquela mulher, num processo de luto simultaneamente privado e público, destroçada e sozinha no centro de um mundo que sustém a respiração enquanto a observa nos mais ínfimos movimentos. Sobretudo, é um filme para Natalie Portman, desenhado para fazer brilhar a sua beleza e talento. Ver o post inteiro

Claude Lanzmann (1925-2018): cineasta do indizível

Claude Lanzmann (1925-2018): cineasta do indizível

O cineasta Claude Lanzmann faleceu no passado dia 5 de Julho, em Paris, já com mais de 90 anos. Apesar de ser mais lembrado pelo “melhor documentário da história do cinema”, Shoah (1985), Lanzmann manteve uma produção contínua até ao início deste ano. Carlos Alberto Carrilho escreve exactamente sobre esses últimos títulos da sua carreira, Le dernier des injustes (O Último dos Injustos, 2013) – estreado comercialmente em 2015, crítica de Carlos Natálio –, Napalm (2017) – exibido na última edição do DocLisboa – e Les quatre soeurs (2018) – exibido na última edição do IndieLisboa. Já Luiz Soares Júnior escreve sobre o monumental Shoah, “um pequeno filme de horror incrustado numa obra prima do fora de campo“. Ver o post inteiro