7,6

Sinónimos

· 119min.

Vencedor do Urso de Ouro da 69.ª edição do Festival de Cinema de Berlim, "Sinónimos" é um drama autobiográfico com assinatura do realizador israelita Nadav Lapid.
Indisponível no teu país

Sobre o filme

Yoav não é francês mas quer sê-lo: chegado de Israel para fugir a um país que diz "estar condenado", procura reinventar-se. Com um ligeiro sotaque, uma gramática arcaica e um dicionário no bolso, vai percorrendo as ruas de Paris entoando palavras francesas. Um puzzle trágico-cómico que esconde de forma astuta os seus segredos. Vencedor do Urso de Ouro da 69.ª edição do Festival de Cinema de Berlim, um drama autobiográfico.

Realização e elenco

Realização:
Nadav Lapid

Prémios e nomeações

Áudio e legendas

Versão original com legendas em português
Áudio Francês

Mais informação

Título original:
Synonyms
Géneros:
Drama, Biopic
Nacionalidades:
França, Israel, Alemanha
Estreia no cinema:
16-05-2019

Títulos parecidos

omrocha

Agora que terminei o filme, digo: mixed-feelings...

Yoav parece ser um personagem fora do contexto, um outsider, o que me leva a pensar que poderá sofrer de severos problemas psicológicos. As personagens secundárias do filme parecem ter sempre alguma influência negativa na sua pessoa. A certo ponto ele representa o seu país (de forma indirecta) até que explode e atira definitivamente a toalha ao chão.
Tecnicamente falando, o filme é bastante interessante, com planos saltitantes e agudos, que lembram efectivamente a Nouvelle Vague sobretudo de Godard.

9

"Funny, frustrating, and stealthily sad, Synonyms is a bold film about the refusal to assimilate in one country, and the failure to assimilate in another."

Pat Brown de Slant Magazine

8

"'Sinónimos' consegue alcançar os píncaros de excelência artística que podem começar a justificar a estranha vitória do filme na Berlinale."

Cláudia Alves de Magazine HD

8

"Lapid resgata uma liberdade de narrativa e estética que remete à Nouvelle Vague, com sua câmera digital tremendo alegremente pelas ruas, enquanto um trio de jovens – Yoav, Émile (Quentin Dolmaire) e Caroline (Louise Chevillotte) – discutem amor, futuro, música e experiência literária (...) Em seu ponto de vista crítico (ou talvez seja melhor dizer cínico), Synonyms faz um uso bastante criativo da linguagem cinematográfica. Existe uma dezena de momentos memoráveis, antinaturalistas e divertidos (...) O filme é estranho, no melhor sentido do termo: ele encontra uma maneira incomum de transmitir uma sensação, contar uma história através de fragmentos, de tons, de diferenças de linguagem e de percepção musical."

Bruno Carmelo de Adoro Cinema

7

"Breathtaking in the way it careens from one scene to the next in a whirlwind of personal and political meaning all but impossible to grasp in full measure, the film is an excoriation of Israel’s militant machismo and a self-teasing parody of Parisian stereotypes"

Jay Weissberg de Variety