Cartas da Guerra
Cartas da Guerra

Cartas da Guerra

Áudio e legendas

Versão Portuguesa

Nacionalidade

Portugal

Ano de produção

2016

Estreia no cinema

01-09-2016

Sobre o filme

1971. António vê a sua vida brutalmente interrompida quando é incorporado no exército português, para servir como médico numa das piores zonas da guerra colonial - o Leste de Angola. Longe de tudo que ama, escreve cartas à mulher à medida que se afunda num cenário de crescente violência. Enquanto percorre diversos aquartelamentos, apaixona-se por África e amadurece politicamente. A seu lado, uma geração desespera pelo regresso. Na incerteza dos acontecimentos de guerra, apenas as cartas o podem fazer sobreviver.

Realização

Ivo Ferreira

Títulos parecidos

Como avalias este filme?

Guerra é Guerra. Interesses Políticos. Homens a matar outros Homens. E a do Ultramar não foi diferente. Recordar para não esquecer... Mesmo na Guerra existe amor. Este filme é um bom exemplo. Nada nem ninguém pode abalar o amor quando é verdadeiro.

24 Maio 2020

Quando António diz: " a distância apaga muita coisa"...significa que a guerra constitui uma separação inevitável...quando se parte algo se perde e quando se regressa a sensação que fica é que já nada será como dantes...Deslumbrante!!

21 Maio 2020 (Editado)

Guerra do Ultramar, um soldado, estudante de medicina, escreve cartas para a sua esposa que se encontra em Portugal. Visualmente interessante, em termos de composição de imagem, com uma palete de pretos e cinzas que ajudam a enquadrar a época em questão, dando a sensação nostálgica. Utiliza constantemente a voz-off feminina na narração das cartas, sendo esta a principal fonte de informação para o desenrolar da história. O tema é algo "batido" nas produções nacionais, mas a forma como é explorado torna o filme mais apelativo do que alguns dos seus análogos.

17 Maio 2020