Tender Son: The Frankenstein Project
Tender Son: The Frankenstein Project
Tender Son: The Frankenstein Project

Tender Son: The Frankenstein Project

Szelíd teremtés - A Frankenstein-terv

Áudio e legendas

Versão original com legendas

  • Áudio Húngaro
  • Legendas Português
Nacionalidades

Hungria, Alemanha, Áustria

Ano de produção

2010

Género

Thriller

Estreia no cinema

28-10-2011

Bilheteira

1.157,30 €

Espetadores

118

Sobre o filme

Inspirado pela novela gótica de Mary Shelley, ‘’Frankenstein’’. Há alguns anos um jovem tornou-se pai sem sabê-lo. Agora, com 17 anos, o seu filho Rudi regressa a casa com a esperança de reunir-se com a sua família depois de ter passado vários anos num internato. O rapaz espera encontrar aceitação, afecto e, o mais importante, averiguar quem é o seu pai, porém, infelizmente, não é bem-vindo. Quase por acidente, Rudi apresenta-se a um casting, o diretor do filme fica estupefacto pela inocência do rapaz e crê que encontrara o actor que tanto procurava. Um terrível acontecimento altera as boas intenções de Rudi e este converte-se num assassino. O diretor dá conta de que esse rapaz tão tímido e calado é o seu filho e a sua própria monstruosa criação. Ao cineaste não lhe resta alternativa senão acompanhá-lo no seu inevitável passado até encontrar, entre ambos, o caminho até à redenção.

Realização e elenco

Foto de perfil por defeito de um utilizador que não fez login
Os comentários depreciativos e os spoilers serão moderados. Se tens alguma queixa escreve-nos para ola@filmin.pt
  • Fabien Lemercier

    de Cineuropa

    An obscure, multi-layered parable on the theme of creation, Tender Son – The Frankenstein Project gives a new glimpse of Mundruczó’s extraordinary potential. With every film, the Hungarian director rises to new aesthetic challenges (including snow this time), achieving a sort of perfection in his directing, the work on the sound and the contribution of the (very beautiful) musical score. And while his minimalist dialogues and deliberate stylisation of the acting make his films impenetrable (to the point of putting some viewers off), he nonetheless remains a director of great distinction.

    8.5 8.5