Quem me Dera Saber - Histórias de Shanghai
Quem me Dera Saber - Histórias de Shanghai

Quem me Dera Saber - Histórias de Shanghai

I Wish I Knew

Áudio e legendas

Versão original com legendas em português

  • Áudio Original
  • Legendas Português
realização

Zhangke Jia

Nacionalidade

China

Ano de produção

2010

Estreia no cinema

10-11-2011

Bilheteira

4.844,90 €

Espetadores

1.014

Sobre o filme

Shanghai, uma metrópole que muda a cada instante, um porto onde pessoas chegam e partem. Albergou todo o tipo de pessoas – revolucionários, capitalistas, políticos, soldados, artistas, gangsters. Também foi palco de revoluções, assassinatos, histórias de amor. Depois da vitória Comunista em 49, milhares de pessoas deixaram Shanghai e partiram para Hong-Kong e Taiwan. Partir significou em muitos casos uma separação de 30 anos, ficar significou sofrer a Revolução Cultural.
Dezoito pessoas relembram a sua vida em Shanghai. As suas experiências pessoais, como dezoito capítulos de uma novela. Uma alma regressa a Shanghai e ao andar pelas margens do rio desperta para todas as mudanças que a cidade sofreu.

Prémios
O meu estado de espírito...

Realização e elenco

Como avalias este filme?

No comments

7.0

"Treasurable images from Chinese cinema and moving personal histories from the people of Shanghai lend potent human and aesthetic dimensions to "I Wish I Knew," Jia Zhangke's lengthy survey of the city's eventful past and ever-changing present. Originally commissioned to open the Shanghai World Expo before post-production delays put it on course for Cannes, this beautifully lensed work reps a shift from the docudrama experimentation of 2008's "24 City" into a purer nonfiction vein. Despite some structural lapses, the result is Jia at perhaps his most accessible, boasting especially rich incentives for Asian film buffs on the fest circuit."

Justin Chang de Variety

6.5

"No posee la fuerza de las obras maestras de Zhangke pero supone una consecuente ampliación de su discurso (...) va trenzando una memoria oral de la ciudad a través de una polifonía de voces con el denominador común de la victimización del individuo."

Jordi Costa de El País

6.0

"A patchwork quilt with too many fabrics and patterns. Dipping into the historical, human and scenic through interviews and nomadic location shooting, it reveals what most films touching on modern Chinese history address: how wars and political unrest led to suffering and Diaspora. The film suffers from information deficiency, so while Chinese can relate to most of their conversations yet find the content familiar, overseas audiences are adrift in a sea of non-chronological memories. Cinephiles who adore festival darling Jia would still lap up a section related to Chinese cinema, so widespread festplay and niche art house runs await."

Maggie Lee de Hollywood Reporter