Paterson
Paterson

Paterson

Áudio e legendas

Versão original com legendas em português

Nacionalidade

Estados Unidos

Ano de produção

2016

Estreia no cinema

29-06-2017

Sobre o filme

Paterson é motorista de autocarro na cidade de Paterson, New Jersey – ele e a cidade partilham o mesmo nome. Todos os dias Paterson segue a mesma rotina: percorre a sua rota diária, observando a cidade à medida que a vê passar pelo espelho retrovisor, e ouve fragmentos das conversas em redor. Escreve poemas num caderno, passeia Marvin, um buldogue inglês, e vai para casa ter com a sua mulher, Laura. Por outro lado, o mundo de Laura está sempre em mudança, com novos sonhos a cada dia. Paterson ama Laura e ela ama-o também. Ele apoia os projectos de Laura, ela impulsiona o talento de Paterson para a poesia. O filme examina os triunfos e derrotas do quotidiano, juntamente com a poesia que se encontra nos mais pequenos detalhes.

realização

Jim Jarmusch

Títulos parecidos

Como avalias este filme?

«Poesia? Duas horas de nada acerca de um homem que escreve banalidades sem qualquer interesse e a que se chama poesia só porque isso é necessário para o "ambiente". Truques gráficos, velocidade baixa... A cena final, então, é patética! Só se safa a graça do cão que tem mais "poesia" no olhar estúpido do que duas horas de tanga», Rui in Cinecartaz

10 Novembro 2019
8.0

"Paterson é um belo e delicado filme sobre as coisas pequenas. Sobre as variações sutis e belas que uma rotina aparentemente monótona e sem acontecimentos é capaz de oferecer, e como a Arte é uma forma libertadora de encontrar um novo olhar sobre o mundano e o já conhecido. Mais uma pérola do olhar único de Jim Jarmusch."

Lucas Nascimento de Plano Crítico

7.5

"Encontramos em Paterson uma mistura de géneros que cruza o drama romântico, a comédia dramática e o filme-ensaio, como se Jarmusch tivesse pretendido despir a narrativa de um glamour que não seria difícil de encontrar (basta pensar no seu trabalho anterior, Only Lovers Left Alive) para frisar o seu carácter prosaico e depois lhe devolver a beleza – e a poesia. Há desde sempre no trabalho de Jarmusch um lirismo visual particular, aqui patente na fotografia de Frederick Elmes – que aproveita as belas paisagens e lhes sobrepõe poemas que escorregam como água pelo ecrã – e que em Paterson se dilata à palavra escrita. A estrutura do filme, dividindo-o com rigor pelos sete dias da semana, sublinha a repetição e a passagem do tempo mas também a tranquilidade e o recolhimento, estimulando a atenção ao detalhe. O silêncio, que se sobrepõe aos diálogos, à banda-sonora e à própria poesia dita, é talvez uma alegoria para a personagem de Paterson: Um homem calado e contemplativo, aparentemente imune ao peso do hábito e às banalidades da vida, cujo único capricho é a necessidade interior de escrever poesia, dom que não pretende exibir ao mundo. "

Edite Queiroz de Arte Factos