6,7

O Fantasma da Sicília

· 126min.

O filme de abertura da 57ª Semana da Crítica do Festival de Cannes traz ao ecrã um conto fantástico inspirado por um caso que chocou a opinião pública italiana nos anos '90.
Indisponível no teu país

Sobre o filme

Numa pequena vila siciliana, Giuseppe, de 13 anos, desaparece. Luna, a sua colega de classe e por ele apaixonada, recusa-se a aceitar o seu misterioso desaparecimento. Para encontrá-lo, está disposta a ir até ao mundo sombrio que o engoliu. Só o seu amor indestrutível será capaz de o trazer de volta.   O Fantasma da Sicília foi o filme de abertura da 57ª Semana da Crítica do Festival de Cannes: o último surpreendente trabalho da dupla de realizadores Antonio Piazza e Fabio Grassadonia, já galardoada com o Grande Prémio do Júri dessa mesma secção com o seu anterior filme: Salvo.    "Um fantasy tragi-romântico com um toque de Guillermo del Toro" (THE GUARDIAN). "Uma fábula romântica à Irmãos Grimm no mundo implacável da máfia italiana" (VARIETY). Um conto fantástico inspirado por um caso que chocou a opinião pública italiana nos anos '90.

Prémios e nomeações

Áudio e legendas

Versão original com legendas
Áudio Italiano • Legendas Português

Mais informação

Título original:
Sicilian Ghost Story
Géneros:
Fantástico, Drama, Romance
Nacionalidade:
Itália

Demonstração implacável da Máfia, num terreno onde sempre mexeram os cordelinhos, com a cumplicidade da maior parte dos sectores da sociedade. Amor, sonhos, viver livremente, não faziam, nem fazem parte das preocupações dos mafiosos.

(Editado)

Tragico film sulla storia del piccolo Giuseppe Di Matteo, rapito, ucciso dopo una lunga prigionia e sciolto nell'acido nitrico nel tentativo di occultarne il cadavere.
Questo film non renderà mai giustizia a Giuseppe, ma può lontanamente farci intuire la paura che provò durante la sua segregazione.

7

"Sicilian Ghost Story review – stylish crime drama fantasy with a nasty undertow Fabio Grassadonia and Antonio Piazza’s good-looking film is a tragi-romance, but it’s based on a revolting crime ou could alternatively call it Sicilian Love Story or Sicilian Bedtime Story or even Sicilian Shaggy-Dog Story. It’s an intriguing and good-looking film, an award winner in the critics’ week section at last year’s Cannes, inspired by a grisly true-crime horror of modern Sicily, a fact that is eventually revealed in a few lines flashed up on screen just before the closing credits. But it is a disconcerting revelation, as the preceding film’s recurrent mode of tragi-romantic fantasy, with a touch of , isn’t adequate for the revulsion and outrage that this story must surely inspire. It is well acted and well directed by Sicilian film-makers Fabio Grassadonia and Antonio Piazza, whose debut feature – about a hitman’s psychological breakdown – had comparable style. In the early 90s, preteen Luna (Julia Jedlikowska) is shyly but intensely in love with rich kid Giuseppe (Gaetano Fernandez), who is the same age, a bit smug and entitled; but he feels the same about her. They have an adventure in a forest and then he invites her to his family compound to look at his horse, which he rides in the full kit: hat, breeches etc. Both of these scenes are wonderfully shot. But then Giuseppe disappears, an enigma compounded by his family’s tight-lipped refusal to reveal to Luna (or anyone) what’s happening. She is to discover it has something to do with his father’s involvement and then de-involvement with the mafia."

Peter Bradshaw de The Guardian