Ninfomaníaca: Vol. 1
Ninfomaníaca: Vol. 1

Ninfomaníaca: Vol. 1

Nymphomaniac: Vol. I

Áudio e legendas

Versão original com legendas em português

realização

Lars von Trier

Ano de produção

2013

Género

Drama

Estreia no cinema

16-01-2014

Sobre o filme

Ninfomaníaca é a história selvagem e poética da viagem de uma mulher desde o nascimento até aos 50 anos, contada pela personagem principal, Joe. Numa noite fria de Inverno, um solteiro velho e encantador, Seligman, encontra Joe num beco, espancada. Leva-a para o seu apartamento onde cuida das suas feridas enquanto procura saber mais da sua vida. Escuta atentamente enquanto Joe, durante 8 capítulos, revela a multifacetada história da sua vida.

Realização e elenco

Títulos parecidos

Como avalias este filme?

No comments

9.0

"Compreender Lars von Trier exige repertório que vai além de conhecimento de cinema. Ele consegue ser didático com suas referências e com suas convicções filosóficas, mas não prescinde de exibi-las com grande agilidade e em alta dosagem. Por isso é tão fácil sentir-se à deriva nesse processo e assim acabar lhe imputando adjetivações bobas, como de “cineasta polêmico” ou que “deseja chocar” (tendo ele mesmo grande parcela de culpa nisso, é inegável). Mesmo com alguns problemas próprios de um roteiro abarrotado de ideias, a exemplo da referência tão óbvia ao trítono como intervalo satânico, Ninfomaníaca se sai muito bem em sua primeira parte. A montagem do longa-metragem é, provavelmente, a mais dinâmica e moderna de toda a filmografia de Lars von Trier. "

Marcelo Sobrinho de Plano Crítico

9.0

"Extremamente provocador – não apenas pelo tema mas também pelo formato, como demonstram os minutos iniciais onde o espectador é obrigado a aguardar o início tardio do filme -, Ninfomaníaca – Volume 1 encanta pela ousadia. Ao explorar um tema tabu, ao trazer uma profunda análise emocional sobre algo que poderia facilmente ser banalizado, ao fazer graça em momentos surpreendentes, ao tirar o espectador do conforto de sua poltrona. Ou por momentos tão sutis, como o breve sorriso sacana de Stellan Skarsgård ao vislumbrar o passado de Joe. Trata-se de um filme ambicioso que deixa uma expectativa enorme para o que vem a seguir, por mais que as cenas do próximo volume, presentes ao término da sessão, deem uma certa ideia do que acontecerá. Seu único pecado é o episódio Delírio, pela sensação de gratuidade que transmite em relação à história como um todo. Um grande filme, que exige que o espectador se dispa de preconceitos e moralismos para captar a essência da história - por mais que von Trier, ainda bem, adore uma boa polêmica. "

Francisco Russo de Adoro Cinema