8,7

Mais Um Dia de Vida

· 85min.

A adaptação ao cinema do livro de Ryszard Kapuscinski, um dos maiores repórteres de guerra do século XX, uma testemunha da guerra civil em Angola e os movimentos de libertação de 1975.
Indisponível no teu país

Sobre o filme

Mais um Dia de Vida é a adaptação ao cinema do livro homónimo de Ryszard Kapuscinski, um dos maiores repórteres de guerra do século XX. No Verão de 1975, ele é enviado para Angola, numa altura em que os portugueses estão em debandada e os movimentos de libertação se envolvem numa guerra civil sem tréguas. De uma Luanda transformada em cidade fantasma sitiada, até à fronteira sul à beira da invasão sul-africana, Kapuscinski é uma testemunha ímpar do nascimento conturbado de um novo país. Com uma técnica de animação extraordinária e um trabalho documental que vai ao encontro dos homens que com ele então se cruzaram, o filme é uma belíssima homenagem a um grande repórter de guerra.

Áudio e legendas

Versão original com legendas
Áudio Varios

Mais informação

Título original:
Another Day of Life
Géneros:
Animação, Guerra
Nacionalidades:
Polônia, Espanha, Alemanha, Bélgica
Estreia no cinema:
08-11-2018

História realistica bem "tratada", com movimento e dinâmica engraçada. Vou ler o livro com as expectativas muito altas.
Mais interessante ficaria, talvez, transformá-lo numa mini-serie de seis episódios.

Soube que o filme estava a ser feito há um par de anos, através dele cheguei ao livro "Mais um Dia de Vida" (1975) de Ryszard Kapuściński que li no ano passado e muito me tocou, por isso ver o filme era obrigatório. Raul de la Fuente, seguindo uma estética próxima da criada por Ari Folman para o brilhante "Waltz With Bashir" (2008), entrega um filme que de certeza faria Kapuściński sentir-se orgulhoso, porque refletindo tudo o que está no livro, nos dá a ver um pouco além desse, por via do acrescento de imagens e entrevistas reais dos dias de hoje com alguns dos principais intervenientes na história por ele contada. É um filme para ver, rever e refletir, ainda que não seja tão duro como o livro, porque a animação de tão bela, e algum pudor por parte dos criadores, fazem sentir toda a tragédia como algo mais leve. Mas essa era a intenção de De La Fuente, fugir ao excesso dramático próprio de uma guerra.
https://virtual-illusion.blogspot.com/2019/10/another-day-of-life-2018.html