8,4

Ida

· 79min.

Polónia, 1962. Anna está presetes a celebrar os votos para se tornar freira. Embarca numa viagem de conhecimento de si própria e confrontar a verdade sobre a sua família.
Indisponível no teu país

Sobre o filme

Polónia, 1962. Anna é uma bonita jovem de 18 anos que irá em breve celebrar os votos definitivos para se tornar freira no convento onde vive desde que ficou órfã em criança. A madre obriga-a a conhecer o único membro familiar vivo, a tia Wanda, antes da celebração dos votos. Juntas, as duas mulheres embarcam numa viagem à descoberta de si próprias e do passado que têm em comum. Anna descobre que é judia e que o seu verdadeiro nome é Ida. Esta revelação leva-a a dar início a uma jornada para desvendar as suas raízes e confrontar a verdade sobre a sua família. Ida terá de escolher entre a sua identidade biológica e a religião que a salvou dos massacres provocados pela ocupação Nazi na Polónia. E Wanda terá de confrontar as decisões que tomou durante a guerra quando optou por colocar a lealdade à frente da sua família.
Este filme ganhou um Óscar para Melhor Filme Estrangeiro em 2014.

Prémios e nomeações

Áudio e legendas

Versão original com legendas
Áudio Polonês • Legendas Português

Mais informação

Título original:
Ida
Género:
Drama
Nacionalidades:
Polônia, Dinamarca
Estreia no cinema:
17-07-2014
Bilheteira: 32 131,95 €
Espetadores: 7.381

Títulos parecidos

Apaixonei-me por este filme. Não tanto pela mensagem da narrativa, mas pela cinematografia estonteante. Sou grande fã de monocromático e wide shots, e é o que não falta aqui, dando a sensação de distância que o realizador pretende, pois a personagem principal (uma "aspirante" a freira), está em dúvida consigo mesma e com o rumo da sua vida. Na minha perspectiva, é engraçado ver os planos estáticos (as personagem entram na cena, quando o plano de fundo já lá está), pois contradiz a premissa que "Deus nos acompanha sempre", tão defendida pelos devotos.

miguelnunes18

Bom. Mas penso que o "Cold War" é uma clara evolução para Pawlikowski

(Editado)

Dever religioso vs curiosidades de uma freira + família vs religião + encarar a verdade familiar vs mentiras do passado... freira sem roupinhas... etc... rigor de cinema na encenação, enquadramento pleno de significado, geometria visual superlativa, fotografia magnifica num exacerbado preto-e-branco... tudo coisa pouca, claro!

10

"Cada imagen está meticulosamente compuesta y medida para engarzarse en una cadencia orgánica que remite a la voz del gran cine. Dreyer. Bresson. Hanoun."

Daniel de Partearroyo de Cinemanía

9

"Sigo pensando en “Ida” después de verla tres veces. En su belleza, en su pureza visual, en su sobriedad narrativa, en lo que comprendo transparentemente y lo que me siembra dudas o me deja perplejo . Es rara y antigua en el mejor sentido, es cine muy bueno, con estilo y aroma a tiempos lejanos."

Carlos Boyero de El País

8

"'Ida' es una de esas sorpresas agradables que a veces nos da un cine que dista mucho de los mejores hallazgos que jalonaron su agitada historia."

Mirito Torreiro de Fotogramas

8

"Soberbiamente fotografiada en un blanco y negro luminoso y crudo, cada instante se desvela tan conmovedor como cierto; tan salvaje como elegante. La cámara se limita a seguir pautada cada gesto, cada movimiento del alma. Y así hasta conseguir una fiel y perfecta descripción de la herida, la herida del pasado, de todos los pasados posibles."

Luis Martínez de El Mundo

8

"This odd-couple road movie set in 60s Poland about a novice nun and her magistrate aunt is a poignant story powerfully told"

Peter Bradshaw de The Guardian