Ciclo interrompido
Ciclo interrompido

Ciclo interrompido

The Broken Circle Breakdown

Áudio e legendas

Versão original com legendas

  • Áudio Varios
  • Legendas Português
Nacionalidade

Bélgica

Ano de produção

2012

Géneros

Musical, Drama

Estreia no cinema

27-02-2014

Sobre o filme

A história de amor entre Elise e Didier. Ela tem a sua própria loja de tatuagens, ele toca banjo numa banda. É amor "à primeira vista" apesar das grandes diferenças. Ele fala, ela escuta. Ele é um ateu convicto, embora, ao mesmo tempo, um ingénuo romântico. Ela tem uma cruz tatuada no pescoço, mas os pés bem assentes na terra. A sua felicidade completa-se com o nascimento de Maybelle. Infelizmente, Maybelle, aos seis anos de idade, adoece gravemente. Didier e Elise reagem de forma muito diferente mas Maybelle não lhes irá deixar escolha. Didier e Elise terão que lutar juntos por ela. O amor, mesmo quando forte e intenso, pode desiludir quando mais dele se precisa? "Ciclo Interrompido" é um intenso drama, cheio de paixão e música. Sobre como o amor pode vencer o destino ou... às vezes, não.

Realização e elenco

Como avalias este filme?

No comments

9.0

"Toma nota de inmediato: Felix Van Groeningen, en su cuarta película pasa a la velocidad superior. De lo mejor del año. Arrasará en la taquilla mundial, su estructura narrativa conquistará a la crítica, sus intérpretes enamorarán al público y puede que se cuele en las nominaciones de los Premios de Cine Europeo. Las penas, con música, se llevan mejor."

Carlos Loureda de Fotogramas

8.0

"Gracias a un uso intuitivo de los flashbacks y a unas cuantas escenas desgarradoras, el filme va calando más o menos hondo."

Javier Cortijo de Cinemanía

8.0

"A pesar de sus anzuelos, 'Alabama Monroe' es una película muy impactante, y la entrega física, emocional y musical de sus protagonistas anima a tragarse el cebo y disfrutar con sus padecimientos "

E. Rodríguez Marchante de ABC

8.0

"Un drama estridente llevado a lomos de una música magnética. Todo ello, tanto la banda sonora como la propia película, muy pegadizas."

Luis Martínez de El Mundo

8.0

"There's no escaping that the film will jerk tears, but it doesn't deserve the pejorative label that might suggest...Van Groeningen seems to innately understand that sorrow truthfully communicated and shared can be cathartic, rather than depressing."

Jessica Kiang de The Playlist