7,9

César Deve Morrer

· 74min.

Filme sobre a encenação de "Júlio César" de Shakespeare na prisão de Rebibbia, Roma com os presos como atores. Um longo caminho, difícil e repleto de ansiedade e esperança.
Indisponível no teu país

Sobre o filme

Uma sala de teatro na prisão de Rebibbia em Roma. Uma encenação de Júlio César de Shakespeare chega ao fim no meio de grandes aplausos. As luzes baixam e os actores, que se transformam novamente em presos, são acompanhados às suas celas.
Seis meses antes o diretor da prisão e um encenador falam com os presos sobre um novo projeto, a encenação de "Julio César".
O primeiro passo é negociar as condições, o segundo é o estudo do texto. O idioma universal de Shakespeare ajuda os presos a identificarem-se com as personagens. É um longo caminho, difícil e repleto de ansiedade e esperança. São estes os sentimentos que invadem os presos quando chegam às suas celas, depois dos ensaios.

Realização e elenco

Realização:
Paolo e Vittorio Taviani

Prémios e nomeações

Áudio e legendas

Versão original com legendas em português
Áudio Original • Legendas Português

Mais informação

Título original:
Cesare deve Morire
Género:
Drama
Nacionalidade:
Itália
Estreia no cinema:
01-11-2012
9

"Un montaje tan original como posibilista del 'Julio Cesar' de Shakespeare. (...) representando con veracidad y fuerza expresiva esa tragedia sobre los dilemas morales"

Carlos Boyero de El País

9

"Un brillante trabajo de resurrección. Resucitan ellos, los propios Taviani que desde finales del 80 se encontraban desaparecidos y, lo más importante, resucita Shakespeare. ¿Acaso había muerto?"

Luis Martínez de El Mundo

9

"Insólita, fresca y seguramente imperfecta, pero libre de ataduras académicas (...) los octogenarios Taviani han recuperado buena parte de la garra de sus obras del terruño (...) Han resucitado la venganza shakespeariana para convertirla en vendetta napolitana"

Javier Ocaña de El País

9

"El cine de los Taviani, que parecía muerto resucita con las uñas sucias y la dignidad bien alta"

Sergi Sánchez de La Razón