8,9

Autografia

· 92min.

Um documentário que retrata a a vida, o percurso e a individualidade de Mário Cesariny para além do pintor e poeta. O poema "Autografia" serve de mote e fio condutor.
Indisponível no teu país

Sobre o filme

Este documentário pretende retratar não o poeta e pintor Mário Cesariny, mas sim a sua vida, o seu percurso e a sua individualidade. Como espaço de acção privilegiou-se o seu quarto, por ser este atualmente a base da sua criação e da sua intimidade. É aqui que resiste tudo o que não se perdeu. Sendo este um trabalho que vive sobretudo das questões colocadas (ausentes) e das respetivas respostas, optou-se por assumir como fio condutor um dos seus poemas - “autografia” - que servirá de mote, através da sua análise para as questões intencionadas, de modo a que o filme assuma um carácter intimista, estabelecendo-se um diálogo entre quem o vê e quem é retratado. Neste documentário/registo existem vários planos: o de análise do poema; o das respostas; o do seu trabalho (exposto na sua intimidade) e o da nossa própria interpretação; uma espécie de respigar/reciclar de citações e de conteúdos que acabam por nos permitir uma apropriação de Mário Cesariny.

Realização e elenco

Realização:
Miguel Gonçalves Mendes
Elenco:
Mário Cesariny

Prémios e nomeações

Áudio e legendas

Versão Portuguesa
Áudio Português

Mais informação

Género:
Documentário
Nacionalidade:
Portugal
Estreia no cinema:
02-12-2004

Títulos parecidos

Tar (A Cor do Tempo)
6 Tar (A Cor do Tempo) Luise Biesold , Bliss , Thierry Cheung , Demeestere , Gambis , Ganguly , Goldfinch , Zúñiga Hidalgo , Mahesh , Romanowsky , Thomasen , Urreiztieta
O Indispensável Treino da Vagueza
7 O Indispensável Treino da Vagueza Filipa Reis e João Miller Guerra

Cesariny é uma personagem (trágica?) de si mesmo no amor e/ou no enamoramento por si e pelo(s) amados(s) - em particular, ficção ou não, aquele que o quis matar (cf. Bataille, Duras, etc.). Depois, cumprindo esse destino, isto é, morrer para re-nascer, a ascenção ao corpo: corpo-sexo, corpo-amante, corpo-poema, corpo-pintura.

(Editado)