A Respeito da Violência
A Respeito da Violência

A Respeito da Violência

Concerning Violence

Áudio e legendas

Versão original com legendas em português

  • Áudio Original
  • Legendas Português
realização

Göran Olsson

Ano de produção

2014

Estreia no cinema

30-04-2015

Sobre o filme

Um dos documentários mais impactantes e provocadores de 2014. Narrado por Lauryn Hill, "A Respeito da Violência" incide sobre os momentos mais conturbados das colónias africanas na sua luta pela liberdade. Baseado em materiais de arquivo recém descobertos e acompanhado pelos textos clássicos da obra "Os Condenados da Terra" do psiquiatra e filósofo Frantz Fanon, o documentário analisa a violência que acompanhou a descolonização Africana e as suas consequências.
É necessário imergir nestas imagens incríveis para entender a violência inerente ao contexto colonial, uma vez que essa era uma violência instalada e dezumanizante. Sendo que o resultado só poderia ser uma represália desesperada e igualmente violenta que caracterizou todo o período de descolonização.
As imagens de época apresentadas neste filme são relatos das guerrilhas de Moçambique, notícias da frente da Tanzania e Argélia e entrevistas com os colonialistas da Rodésia. Por um lado, vemos a consciência leve dos colonizadores, que convivem nos seus campos de golf e em redor das suas piscinas e, por outro lado, vemos a realidade africana, de provação.
A descolonização foi um processo longo; a libertação africana é um processo em curso. Isto é o que nos traz este documentário imperdível que combina o poder das palavras de Frantz Fanon com a força das imagens do passado recente.

Realização e elenco

Como avalias este filme?

No comments

8.5

"Concerning Violence transcends such political differences and exudes a quiet anger underneath its analytical surface (...) In some ways, Olsson's method recalls the stylistic purity of Jean-Luc Godard at his most polemical: His use of on-screen text, especially, is somewhat reminiscent of Godard's more aphoristic use of this literary quality in films like 2 or 3 Things I Know About Her, La Chinoise, and, more recently, Film Socialisme and Goodbye to Language."

Kenji Fujishima de Slant Magazine

8.0

"Mr. Olsson’s news clips are purposeful and bursting with interest (although Fanon’s major concern, Algeria, goes omitted). They’re used in harmony and occasionally in counterpoint to Fanon’s critique, which proclaims colonialism to be an annihilating force, and violence a necessary and liberating tool for the oppressed. But the energy here feels more like that of a lecture than of a film; it’s an analytical tonic that’s potent to the point of bitter."

Nicolas Rapold de NY Times

8.0

"“The Black Power Mixtape” helmer Goran Hugo Olsson doesn’t make documentaries so much as incendiary devices, diving deep into Swedish film archives for vintage clips that have sat like so much undetonated ordnance all these years and coupling them with politically charged audio to make a provocative new statement. Olsson adds the nuclear heft of Frantz Fanon’s treatise “The Wretched of the Earth” to that cocktail, pairing passages read by Lauryn Hill with gut-wrenching eye-witness accounts of imperialism gone wrong, resulting in a festival hot potato engineered to rile even the most progressive arthouse crowds."

Peter Debruge de Variety

7.0

"Dour documentary with brutal footage maintains that African colonisation and decolonisation were about the same thing: violence."

Peter Bradshaw de The Guardian