A Dupla Vida de Veronique
A Dupla Vida de Veronique

A Dupla Vida de Veronique

La double vie de Véronique

Áudio e legendas

Versão original com legendas em português

Nacionalidade

França

Ano de produção

1991

Género

Drama

Estreia no cinema

11-09-1992

Sobre o filme

Weronika vive na Polónia. Véronique vive em Paris. Não se conhecem e não tem nenhuma relação. No entanto, são idênticas: ambas são esquerdinas,  gostam de andar descalças, têm o mesmo brilho no olhar, uma voz sublime, um sentido musical absoluto e, acima de tudo, partilham o mesmo problema cardíaco dificilmente detectável. Sem o saber, uma irá beneficiar das experiências e sabedoria da outra. Como se cada vez que a primeira se magoasse com um qualquer objecto a segunda evitasse tocar no mesmo.  Uma história de amor, simples e comovente, de uma vida que continua, deixando um ser para se perpetuar no corpo e alma de outro.

Prémios
O meu estado de espírito...

Realização e elenco

Como avalias este filme?

No comments

10.0

"Krzysztof Kieslowski's "Double Life of Veronique" exemplifies a very distinctive kind of contemporary European film. Intellectually well bred, it bewitches the eye."

Vincent Canby de The New York Times

10.0

"This is one of the most beautiful films I've seen. The cinematographer, Slawomir Idziak, finds a glow in Irene Jacob's pre-Raphaelite beauty. He uses a rich palette, including insistent reds and greens that don't "stand" for anything but have the effect of underlining the other colors. The other color, blending with both, is golden yellow, and then there are the skin tones. Jacob, who was 24 when the film was made, has a flawless complexion that the camera lingers near to. Her face is a template waiting for experience to be added. She is open to the murmurs of the aether."

Roger Ebert de RogerEbert.com

10.0

"But the elusiveness of the film is precisely the point: it is as beautiful and mysterious as a poem and its formal elegance and conviction are unarguable. What makes it a must-see, however, is the generous, unselfconscious passion of Jacob's performance as a young woman - two young women - in love."

Peter Bradshaw de The Guardian