Sean  Baker
  1. Sean Baker

    Estados Unidos · 1971

    2 títulos :separador disponível 5 prémios
    recebidos
Biografia

Realizador, produtor e guionista de filmes independentes dos EUA. Teve sua carreira impulsionada pelo sucesso de crítica de Tangerine (2015), um drama/comédia de orçamento reduzido, filmado com iPhones 5s.Sean Baker foi criado nos subúrbios de Nova Jersey e estudou cinema na Universidade de Nova York. Desde a sua primeira longa-metragem "Four Letter Words" (2000), sobre jovens brancos dos subúrbio americanos que Baker desenvolve ficções intimamente ligadas à realidade onde as personagens lidam de forma criativa e subversiva com problemas sociais contemporâneos. Em "Take Out" (2004), co-realizado com Shih-Ching Tsou, um imigrante chinês ilegal tem um dia para saldar uma dívida de contrabando. Em "The Prince of Broadway" (2008), um charlatão de Gana que ganha a vida nas ruas de Nova York vendendo imitações baratas da Gucci descobre que tem um filho com uma ex-namorada. "Starlet" (2012) fala da relação de amizade entre uma atriz desempregada de 21 anos e uma idosa de 85 anos, tendo como cenário o Vale de São Fernando em Los Angeles. Na quinta longa de Baker, "Tangerine" (2015), ambientada no Boulevard Santa Monica em Los Angeles, uma prostituta transgênero descobre que é traída pelo seu namorado e proxeneta. Foi durante a fase de pesquisa para o filme com a comunidade trans de L.A. que Baker conheceu Mya Taylor e a sua amiga Kitana Kiki Rodriguez que se tornaram, então, nas protagonistas da história. "Tangerine" teve estreia mundial no Festival de Sundance em 2015 e foi muito bem recebido pela crítica não só pela inovação técnica, mas por mostrar a cultura trans de rua com a participação das próprias transgénero. O filme mais recente de Baker, "The Florida Project" (2017) toca a crise imobiliária recente nos EUA a partir do quotidiano de uma menina de 6 anos e da sua jovem mãe num motel de beira de estrada, próximo à Disney World em Orlando, Flórida. O filme estreia-se na Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes e é escolhido tanto pelo National Board of Review quanto pelo American Film Institute como um dos dez melhores filmes do ano.

Prémios do seus filmes