Robert Bresson
  1. Robert Bresson

    França (1901 - 1999)

    2 títulos :separador disponível 15 prémios
    recebidos
Biografia

Robert Bresson, (França, 25 de setembro de 1901 - 18 de dezembro de 1999), foi um cineasta, autor de uma série de filmes nos quais desenvolveu um discurso na busca do total e absoluto ascetismo, procurando captar o que escapa a uma reflexão superficial. Depois de se dedicar à pintura e fotografia, Robert Bresson realizou o seu primeiro filme em 1934: "Les Affaires Publiques", uma curta-metragem cómica. No início da II Guerra Mundial, foi preso mais de um ano num campo de concentração alemão. Só em 1943 pôde realizar a sua primeira longa-metragem, "Les Anges du Péché". Mais tarde, baseando-se numa obra de Denis Diderot, rodou "Les Dames du Bois de Boulogne", em 1945, com a participação de Jean Cocteau como guionista. Este filme, apesar do seu fracasso comercial, colocou Bresson como um dos cineastas mais destacados da sua geração e valeu-lhe o reconhecimento de grande parte da crítica. Os anos seguintes foram os melhores da sua carreira, criando um estilo próprio, que renunciava a atores profissionais e ao artíficio, em busca de uma linguagem pura, carregada de gestos, olhares e sons. Do seu melhor período destacam-se "Le Journal d'un Curé de Campagne", "Um Condamné à Mort S'est Échappé", "Pickpocket", ou "Mouchette". Na etapa final da sua carreira como realizador, publicou um livro de notas sobre a cinematografia, um compêndio de aforismos sobre a sua visão como cinematógrafo. Bresson pensava que o cinema era uma espécie de teatro filmado, e que o realizador representava uma nova forma de reproduzir imagens em movimento e sons, proporcionados pela montagem. Em 1995, a totalidade da sua obra, composta por um total de 13 longas-metragens foi distinguida pela Academia Francesa de Cinema com o Prémio René Clair.

Prémios do seus filmes