Pablo Trapero

Argentina · 1971

Realizador · 3 títulos :separador disponível · 40 prémios recebidos

Biografia

Pablo Trapero nasceu em San Justo, uma província de Buenos Aires, em 1971. É um dos maiores expoentes do novo cinema argentino e surgiu em meados dos anos 90. Os seus filmes são de corte realista, quase documental, retratando pessoas comuns em atividades diárias e, muitas vezes destacando as injustiças da sociedade contemporânea. Ao longo da sua trajetória também desempenhou um trabalho muito importante no âmbito da produção cinematográfica. Realizou os seus estudos como diretor na Fundação da Universidade do Chile (FUC), em Buenos Aires. Em 1996 fundou, juntamente com outros jovens diretores, a Cinematográfica Sargentina, a sua primeira empresa de produção e co-produtora de "Pizza, birra, faso" (1998) de Bruno Stagnaro e Adrián Caetano, "Bonanza" (2001), de Ulises Rosell e "The Break" (2001) Ulises Rosell, Rodrigo Moreno e Andrés Tambornino. Em 1999,estreou o seu primeiro filme, “Mundo grúa”, que participou no Festival de Veneza (Prémio da Crítica), Rotterdam (Melhor Filme), La Habana (Prémio Especial de Jurado), Toulouse (Melhor Filme), Friburgo (Melhor Filme) e Buenos Aires (Melhor Diretor e Melhor Ator para Luis Margani). Foi estreado comercialmente nos Estados Unidos e por toda a Europa. Em 2001, realizou a curta-metragem “Naikor”. Nesse mesmo ano, co-produziu “La libertad”, de Lisandro Alonso, que participou nos festivais de Cannes, Buenos Aires, Londres, Salónica. A sua segunda longa-metragem, “El Bonaerense”, foi apresentada na secção Un Certain Regard do Festival de Cannes 2002. Em setembro de 2002 foi lançado nos cinemas comerciais, com muito boa recação da crítica e do público. Também foi lançado comercialmente nos Estados Unidos e na Europa. Em 2002, fundou Matanza Cine, a sua nova companhia de produção, que se dedica a produções cinematográficas independentes tanto nacionais como co-produções latino-americanas e documentários. Em 2003, estreia “Ciudad de María”, de Enrique Bellande. No mesmo ano, co-produz e lança comercialmente “La mecha”, de Raúl Perrone (Prémio Especial do Júri em Friburgo). Em 2004, produziu “Decir tu nombre” da diretora argentina Albertina Carri e das co-produções chileno-argentina-espanhola “Mi mejor enemigo”, de Alex Bowen, e da boliviana-cubana-argentina “Di buen día papá”, de Fernando Vargas Villazón. Paralelamente terminou “Familia rodante”, o seu terceiro filme como diretor, que já participou na secção oficial do Festival de Veneza.FILMOGRAFIA DESTACADA COMO DIRETOR
“Negocios”, 1995 (curta-metragem)
“Mundo grúa”, 1999
“Naikor”, 2001 (curta-metragem)
“El Bonaerense”, 2002
“Familia rodante”, 2004
“Nacido y criado”, 2006
“Leonera”, 2008

Prémios do seus filmes

Os seus títulos online