Fatih Akin
  1. Fatih Akin

    Alemanha · 1973

    2 títulos :separador disponível 40 prémios
    recebidos
Biografia

Cineasta de origem turca, ainda que nascido em Hamburgo, as suas referências culturais constroem-se como um ponto entre o oriente e o ocidente, entre o seu país natal e o dos seus pais. Interessado sobretudo em refletir a contradição que habita no indivíduo causado pela sua pertença a mundos radicalmente diferentes, Akin centra a maior parte do seu cinema em temas próximos da imigração, a mestiçagem e o conflito do qual derivam os choques culturais e geracionais num mundo globalizado. Fatih Akin deu os seus primeiros passos no mundo do cinema como actor para demonstrar, pouco tempo depois, que o seu verdadeiro lugar era atrás das câmaras. A sua obra foi uma lufada de ar fresco no cinema alemão, trazendo consigo um espírito de renovação. Akin não tem medo das emoções por maiores que sejam, a sua caligrafia cinematográfica mostra um estilo direto, visceral e cheio de referências à diversidade cultural, um tema recorrente em todos os seus trabalhos. Entre as suas obras mais importantes destaca em primeiro lugar Contra la pared (2004), já que é a longa-metragem que o tornou conhecido (antes desta havia já realizado duas longas-metragens) e não deixa lugar a equívocos quanto ao talento do seu realizador. A história de amor turbulenta, os protagonistas são um casal turco de emigrados na Alemanha que se encontram depois de uma tentativa de suicídio. O filme obteve a maioria dos prémios relevantes para o cinema alemão, entre eles o Urso de Ouro do Festival de Berlim, além de múltiplas nomeações em festivais de todo o Mundo. Em Cruzando el puente: los sonidos de Estambul (2005), Akin pôs o seu talento como realizador ao serviço de um projecto de Alexander Hacke, compositor  da banda sonora de Contra la pared. Acompanhado de um estúdio móvel de gravação e do seu "microfone mágico" Hacke propunha-se a capturar os sons que habitam em cada canto da cativante cidade turca, reflectindo também a diversidade de um cenário musical no qual cabe desde a música electrónica até à música árabe clássica. Al otro lado (2007) é a última obra prima que lhe garantiu o prémio de melhor guião original no Festival de Cannes onde competiu também pela Palma de Ouro. Este drama fascinante consegue radiografar a dor que causa sentir-se encurralado entre duas culturas e gerações diferentes. Através de encontros e desencontros de seis personagens, Akin fala de temas como a deslocação cultural, o radicalismo político, o amor e a morte. A nível pessoal, cabe destacar que Akin vive actualmente Akin em Hamburgo e está casado com a mexicana-alemã Monique Obermüller, tendo com ela um filho chamado Santiago, nascido em 2005. Obermuller é uma actriz e aparece em alguns dos filmes de Akin, colaborando na realização dos mesmos.

Prémios do seus filmes

Os seus títulos online