Chan-wook Park

Coreia do Sul · 1963

Realizador · 1 título :separador disponível · 1 prémio recebido

Biografia

Nascido em Seoul, na Coreia do Sul, Chan-wook Park é um conhecido argumentista e realizador, cujas obras mais conhecidas são, Oldboy - Velho amigo (2003), A Criada (2016) e Vingança Planeada (2005). Estudou Filosofia na Universidade de Sogsang, onde iniciou um pequeno clube de cinema chamado Sogang Film Community e publicou também uma série de artigos sobre cinema contemporâneo. A sua intenção inicial era tornar-se crítico de cinema, mas depois de ver Vertigo resolveu tornar-se realizador. Depois de se formar, continuou a escrever artigos sobre cinema e rapidamente tornou-se assistente de realização em filmes como Kkamdong, realizado por Yu Yeong-jin, e Watercolor painting in a Rainy Day, realizado por Kwak Jae-yong. O seu filme de estreia enquanto realizador foi The Moon Is... the Sun's Dream (1992) e cinco anos depois fez o seu segundo filme Trio (1997). Os seus primeiros filmes não foram um sucesso e ele mantém a sua atividade de crítico para sobreviver. O seu primeiro grande sucesso chega em 2000 com o filme Joint Security Area, que se torna o filme sul-coreano mais visto até à data o que lhe permitiu realizar o seu filme seguinte, Em nome da Vingança (2002), com um pouco mais de liberdade. O seu filme Oldboy – velho amigo (2003) ganhou o Grande Prémio no festival de Cannes em 2004, vindo juntar-se ao filme anterior e tornando-se o segundo daquela que viria a ser conhecida como a trilogia da vingança, que é completada em 2005 com o filme Vingança planeada (2005). Esta trilogia, embora não tenha sido originalmente pensada como tal, representou para o autor uma forma de questionar a futilidade da vingança e a sua capacidade destruidora. Park torna-se assim um dos mais populares realizadores sul-coreanos, com alguns dos seus filmes a atingirem audiências de 3 milhões. O realizador Quentin Tarantino é assumidamente seu fã. Em 2007 ganha o prémio Alfred Bauer no Festival Internacional de Berlim pelo filme I'm a Cyborg, But That's OK (2006) e em 2009 realiza o seu primeiro filme sobre vampiros Thirst – este é o meu sangue (2009), que ganhou um prémio do júri no festival de Cannes. Continuamente inovador, Park filma o seu filme seguinte, a curta Paranmanjang (2011), inteiramente num IPhone, em conjunto com o seu irmão Park Chan-kyong  que nunca havia realizado um filme. Esta proeza acabaria por lhe granjear um Urso de Ouro para melhor curta-metragem. Em 2013, aventura-se no cinema em língua inglesa com o filme Stoker (2013), mas regressa aos temas coreanos com o filme A Criada (2016), que estreou em Cannes onde ganhou o Vulcan Prize, pela técnica, e foi nomeado para a Palma de Ouro e para a Queer Palm. Algumas das influências citadas por Park na composição da sua obra são autores como Sófocles, Shakespeare, Kafka, Dostoevsky e Balzac.

Prémios do seus filmes

Os seus títulos online