8,1

Peregrinação Exemplar

· 92min.

Uma fábula construída em torno de um burro que vagueia, ao acaso, de dono em dono. É a Humanidade que Bresson encena, num filme de uma beleza sublime.
Indisponível no teu país

Sobre o filme

Baltasar é um burro que vive os seus primeiros anos rodeado da alegria dos jogos da crianças, até chegar à idade adulta, na qual passa a ser usado como besta de carga e maltratado pelos seus diferentes amos.
Balthazar, exprime uma figura capital no universo do cineasta: o acaso."É uma fábula construída em torno de um burro que vagueia, ao acaso, de dono em dono. O cinema de Robert Bresson estava, por esta altura, no máximo do seu despojamento, num misto de simplicidade e gravidade formais. As deambulações do burro Balthazar exprimem uma figura capital no universo do cineasta, o acaso. Através dos seus sucessivos donos, é a Humanidade que Bresson encena, num filme de uma beleza sublime. “AU HASARD BALTHAZAR é um filme ímpar, não só na filmografia do autor, como em qualquer obra do cinema sua contemporânea. Busquem-se-lhe todos os sentidos – pode-se sempre encontrar mais um" (João Bénard da Costa - Folhas da Cinemateca).

Prémios e nomeações

Áudio e legendas

Versão original com legendas em português
Áudio Original • Legendas Português

Mais informação

Título original:
Au hasard Balthazar
Géneros:
Drama, Cinema clássico
Nacionalidade:
França

Sem avaliações

10

"E o turbilhão emocional em que nos vemos envolvidos ao experienciar o filme parece enigmaticamente desproporcionado face à simplicidade das histórias que nos são apresentadas, face à subtileza e elegância formal da escrita cinematográfica. Pois eis um dos mais belos paradoxos do cinema de Bresson: encontrarmo-nos perante a sua simplicidade é também perdermo-nos no mais complexo labirinto emocional imaginável."

António San-Payo de À Pala de Walsh

10

"Robert Bresson is one of the saints of the cinema, and "Au Hasard Balthazar" (1966) is his most heartbreaking prayer. The film follows the life of a donkey from birth to death, while all the time living it the dignity of being itself--a dumb beast, noble in its acceptance of a life over which it has no control. Balthazar is not one of those cartoon animals that can talk and sing and is a human with four legs. Balthazar is a donkey, and it is as simple as that. "

Rebecca J. Ritzel de Chicago Sun Times