Os Olhos de Orson Welles
Os Olhos de Orson Welles

Os Olhos de Orson Welles

The Eyes of Orson Welles

Áudio e legendas

Versão original com legendas

  • Áudio Inglês
  • Legendas Português
realização

Mark Cousins

Nacionalidade

Reino Unido

Ano de produção

2018

Estreia no cinema

13-06-2019

Sobre o filme

Ao ter acesso exclusivo a centenas de desenhos e pinturas de Orson Welles, o cineasta Mark Cousins mergulha no trabalho visual do actor e realizador mítico para revelar o retrato de um artista como nunca o tínhamos visto – através do seu próprio olhar, desenhado com a sua própria mão, pintado com os seus pincéis. Dá vida às paixões e ao poder deste showman do século XX e explora a forma como o génio de Welles continua hoje a ressoar na época de Trump, mais de 30 anos depois da sua morte.

Prémios
O meu estado de espírito...

Realização e elenco

Títulos parecidos

Como avalias este filme?

No comments

8.0

"O resultado é um belíssimo exercício cinéfilo. Dir-se-ia um documentário capaz de integrar as nuances de um ensaio crítico e as perplexidades de uma demanda filosófica. Isto porque, além do mais, Cousins organiza Os Olhos de Orson Welles, não como uma "descrição", antes em forma de carta dirigida... ao próprio Welles: "Será que os teus esboços, caro Orson, revelam o teu inconsciente?"

João Lopes de Diário de Notícias

8.0

"A história do cinema não é, nem de longe nem de perto, um inventário de "filmes" e "autores" que se leia como a ilustração de uma qualquer lógica determinista. O crítico de cinema irlandês Mark Cousins já o tinha demonstrado com a sua notável obra documental "História do Cinema: Uma Odisseia", um monumento de meticulosa investigação ao longo de 15 horas de duração ... Dir-se-ia que, através de "Os Olhos de Orson Welles", Cousins acrescenta um capítulo à sua história..."

João Lopes de RTP - Rádio e Televisão de Portugal

8.0

"Mesmo com alguns senões, porém, Os Olhos de Orson Welles é um documentário muito prazeroso e rico que tenta entrar na cabeça, na psiquê de Welles a partir principalmente de seus desenhos, alguns belíssimos e dignos de uma exposição em galeria. Cousins transporta a visão de rostos e de perfis antes mesmo de Welles começar sua carreira nas artes e fazendo correlações do mais alto gabarito com suas obras futuras e isso enquanto nos faz passear pelos lugares que o jovem futuro diretor visitou antes de voltar de vez aos EUA. Com isso, o documentário nos leva para a Irlanda inicialmente, depois Marrocos, Espanha e França, traçando uma jornada pela mente em formação..."

Ritter Fan de Plano Crítico