O Eclipse
O Eclipse

O Eclipse

L'Eclisse

Áudio e legendas

Versão original com legendas em português

  • Áudio Original
  • Legendas Português
Nacionalidade

Itália

Ano de produção

1962

Sobre o filme

Após terminar um relacionamento frustrado com o seu namorado,  Vittoria vai visitar a sua mãe à Bolsa de Valores e conhece Piero, um jovem vivaz, mas fútil e materialista. Os dois começam um relacionamento fadado ao fracasso. Antonioni consegue usar a arquitetura da cidade para expressar o vazio existente entre as personagens.

Realização e elenco

Foto de perfil por defeito de um utilizador que não fez login
Os comentários depreciativos e os spoilers serão moderados. Se tens alguma queixa escreve-nos para ola@filmin.pt
  • João Araújo

    de À Pala de Walsh

    Antonioni ficou conhecido por filmar como ninguém o sentimento de vazio, e também por arriscar como poucos na exploração dos limites da linguagem do cinema, em particular pela sua demanda em quebrar e renovar esquemas narrativos convencionais. Contrariando muitas vezes a expectativa criada pelo filme até certo momento, deixava lentamente uma espécie de tédio existencialista, um desalento pela falta de significado da vida, uma melancolia por algo que ainda não aconteceu, ocupar o espaço central dos filmes, algo por de mais evidenciado na trilogia temática composta por L’avventura (A Aventura, 1960), La notte (A Noite, 1961) e este L’Eclisse. Neste último, uma mulher e um homem, interpretados pelos soberbos Monica Vitti e Alain Delon, dedicam-se a oclusos jogos de sedução, a falsos avanços e recuos, desligados do mundo à sua volta e cercados por posses materialistas que não conseguem preencher o mistério da letargia e languidez. Pouco a pouco revelam diferentes interpretações do amor e expectativas da vida, presos a um permanente estado de indefinição, que coloca em causa a relação entre os dois, entre eles e o que os rodeia, e até connosco. Se o princípio do filme é inesquecível, a sequência final apresenta uma das mais belas resoluções do cinema, ao mesmo tempo desorientador e sublime.

    9.0 9.0