Libertação
Libertação

Libertação

Paisà

Áudio e legendas

Versão original com legendas em português

  • Áudio Original
  • Legendas Português
Nacionalidade

Itália

Ano de produção

1946

Sobre o filme

"Paisà – Libertação" é segundo filme da “Trilogia Neo-realista” de Rossellini. Dividido em seis episódios, o filme tem lugar durante a Segunda Guerra Mundial. No primeiro episódio, uma rapariga siciliana trava amizade com um soldado americano. No segundo, um napolitano rouba as botas a um soldado americano. No episódio seguinte, uma prostituta de Roma encontra um soldado que tinha conhecido no dia da Libertação e no quarto episódio uma enfermeira inglesa deambula por Florença à procura de um amor antigo. Um judeu e um protestante passam a noite num mosteiro no quinto episódio e no último episódio as tropas americanas são vítimas da ferocidade dos Nazis.

Realização e elenco

Títulos parecidos

Foto de perfil por defeito de um utilizador que não fez login
Os comentários depreciativos e os spoilers serão moderados. Se tens alguma queixa escreve-nos para ola@filmin.pt
  • Bosley Crowther

    de NY Times

    Mr. Rossellini constructs a terrifying picture of the disillusion, the irony, the horribleness of strife. More than that, he bluntly shows the tragic chasms which open between good people under circumstances of war and, without saying so, he makes evident the gant, sad thing that life is in a world of hate and killing.

    9.0 9.0
  • Variety Staff

    de Variety

    Most of the film’s quality must be credited to young Italian writer-director-producer Roberto Rossellini’s feeling for people and his ability to put them in an atmosphere of reality. Aside from a director’s sensitivity to his characters, Rossellini knows the technical tricks of getting desired effects with the camera, lighting, mood and location. Rossellini achieves part of his effect by the mingling of professional and non-professional actors in his cast in such a way that it’s often impossible to tell which is which.

    8.0 8.0
  • Javier Ocaña

    de El País

    El absurdo de la guerra y, más allá, la podredumbre de la posguerra, retratados a través de una serie de imágenes que bien podrían escenificar cualquier contienda del siglo XX y, por desgracia, del XXI.

    8.0 8.0